A Alergia pode afetar qualquer órgão do corpo humano, notadamente as vias respiratórias e a pele. É grande a interface com a Dermatologia, Pneumologia, Ortorrinolaringologia e outras especialidades médicas.

Saiba aqui sobre as alergias mais comuns, como podemos preveni-las e sobre outras doenças que se confundem com ela - as doenças de pele!

Urticária

Urticária

Urticária
Urticária

Placas avermelhadas e que coçam, surgem subitamente, characterizam a urticária. Ela pode ser aguda, crônica (se durar mais de 6 semanas) ou recorrente. Na urticária aguda, alimentos, medicamentos e picadas de insetos são os principais agentes suspeitos, enquanto que nas urticárias crônicas um médico Alergista deve ser consultado para um tratamento preventivo, e, quando houver necessidade, investigar outras doenças que possam estar associadas. Outro tipo de urticárias bastante frequentes são as urticárias físicas, como as colinérgicas, o dermografismo, as urticárias causadas pelo calor, frio Ou mesmos pelo contato com a água.

ACNE

Acne – Cravos e espinhas

ACNE

ACNE (Cravos e espinhas)

Doença que ocorre devido a alterações das glândulas sebáceas dando origem aos comedões abertos (cravos pretos) e fechados (cravos brancos). Estas condições favorecem a proliferação de microorganismos que provocam a inflamação característica das espinhas.
A acne não atinge apenas adolescentes, pode persistir na idade adulta e, até mesmo, surgir nesta fase, quadro mais frequente em mulheres.
A doença manifesta-se principalmente na face e no tronco, áreas do corpo ricas em glândulas sebáceas. De leve a grave, ela compromete a autoestima e merece ser tratada desde o começo, de modo a evitar as suas sequelas, que podem ser cicatrizes na pele ou distúrbios emocionais.

O TRATAMENTO pode ser feito com medicações de uso local, visando a desobstrução dos folículos e o controle da proliferação bacteriana e da oleosidade. Podem ser usados também medicamentos via oral, dependendo da intensidade do quadro, geralmente antibióticos para controlar a infecção ou, no caso de pacientes do sexo feminino, terapia hormonal com
Anticoncepcionais específicos para este fim podem ser indicados.

A LIMPEZA DE PELE deve ser realizada por esteticistas devidamente capacitadas, tem ação importante para o esvaziamento de lesões não inflamatórias, evitando a sua piora e evolução para cicatrizes.

Em casos de acne muito grave ou resistente aos tratamentos convencionais, pode ser utilizada a isotretinoína, medicação que pode curar definitivamente a acne em cerca de 6 a 12 meses na grande maioria dos casos.

Apesar de não ter participação direta na causa da doença, a dieta pode ter influência no curso da acne em algumas pessoas. Alimentos como chocolate, gorduras animais, amendoim e o leite e seus derivados devem ser evitados pelos pacientes que apresentem acne e percebam agravamento dos sintomas com estes fatores.

O tratamento da acne deve ser orientado por um médico, que é o profissional capacitado para indicar os medicamentos ideais para cada caso. A duração do tratamento é longa, geralmente nunca é menor do que seis meses…

É importante saber que algumas pessoas apresentam melhoras com certos medicamentos e outras não. Por isso, pode ser que seu médico precise trocar a sua medicação caso o tratamento inicial não esteja surtindo efeito para o controle da doença. Evite a automedicação. Uma pele linda é possível com um tratamento personalizado e adaptado ao seu tipo de acne, a seu estilo de vida e as suas expectativas e possibilidades.

Equipe da Clínica Adriana Schmidt

Clínica Adriana Schmidt – Porque aqui é o lugar de se sentir bem!

Clínica Adriana Schmidt -equipe

Clínica Adriana Schmidt – Por que aqui é o lugar de se sentir bem? Porque aqui procuramos exercer nossa profissão com muito amor ao próximo, respeitando as diferenças e com disposição de melhorar sempre!
Aqui nossa preocupação está em fazer bem nosso papel na sociedade, aprimorando nossas qualificações profissionais para fazer a diferença na vida das pessoas.
Aqui tratamos alergias e inesteticismos com muita responsabilidade.
Nossa missão é contribuir para melhorar a qualidade de vida de nossos pacientes.
Aqui torcemos pelo bem comum e estamos empenhados na construção de um mundo melhor.
É estudando, crescendo e fomentando a união, o amor e respeito ao próximo que seremos pessoas mais felizes e realizadas – e deixaremos de herança para os filhos um mundo mais humano! AVS 2015‪#‎clinicaadrianaschmidt‬ ‪#‎aquieolugardesesentribem‬ ‪#‎filosofia‬ ‪#‎missão‬‪#‎politicadeluz‬ ‪#‎deusnocomando‬

bronzear

O USO DIÁRIO DE FILTRO RETARDA O ENVELHECIMENTO DA PELE

Você sabia que grande parte dos sinais de envelhecimento de nossa pele se deve a exposição a luz? Que se faz necessário aplicar o filtro diariamente nas áreas expostas, reaplicando mais uma vez mesmo que você vá ficar em ambientes fechados? Que os raios UVA, que são os que mais envelhecem, estão presentes mesmo em dias nublados? Que ultrapassam o vidro? Que entre inverno e verão, a diferença dessa radiação UVA é mínima? Mesmo de manhã cedo e ao final da tarde, os UVA estão lá – envelhecem, mas não queimam, por isso as pessoas se enganam, acham que “filtro só na praia ou no sol forte”…Estão redondamente enganadas.

Uso Correto do filtro Solar

bronzear

O que é urticária?

O que é urticária?

Urticária são áreas cutâneas elevadas e avermelhadas e com prurido que variam em tamanhos e formas. Elas são o resultado da liberação de histamina e outros compostos que são liberados dos mastócitos. A urticária tende a ocorrer em crises, que clareiam e desaparecem dentro de 2 a 48 horas assim que novas placas vão surgindo em outras áreas da pele.

Quando a pele coça, é alergia?

Quando a pele coça, é alergia?

Durante os meses mais frios do ano, a pele pode parecer seca, pruriginosa ( coçar) e vermelha. Isto pode não ocorrer não somente pelo frio. Pele vermelha, descamativa e pruriginosa pode ser um sinal de alergia.
Duas condições cutâneas freqüentes associadas a coceira são urticária e eczema ou dermatite.
Muitas pessoas sofrem de alergias cutâneas por todo ano, mas com um diagnóstico preciso e tratamentos apropriados os sintomas são reduzido ou até eliminados.
Caso você tenha uma erupção cutânea ou uma coceira incomum, contate um Alergista ou Dermatologista que irá trabalhar com você para determinar a causa, se alérgica, irritativa ou outros desencadeantes.

Micoses de pele – Tinea Corporis – Fungos na pele

Na tinea pedis (dos pés) existe a formação de rágades no espaço interdigital ( lesões entre os dedos). Geralmente no quarto espaço interdigital, podendo estender-se para o dorso dos dedos, principalmente para a sola dos pés. O prurido pode ser intenso, e o uso prolongado de sapatos fechados e abafados ( tipo tênis), associado a umidade pode levar a uma exacerbação aguda, com acentuada inflamação e descamação. Deve-se evitar o uso de sapatos anafados, preferir meias de algodão e manter o espaço interdigital sempre seco. Drogas atimicóticas tópicas e na forma de talco são úteis, assim como ferver as meias e desinfetar os sapatos, para prevenir a reinfeção.

 

As alergias nas diferentes estações do ano

As alergias nas diferentes estações do ano
Por. Dra. Adriana Schmidt

  • Quais são as principais alergias da pele que aumentam durante o inverno e quais são os seus sintomas?

O ressecamento excessivo, que pode ser causado ou agravado com o uso de sabonetes, banhos quentes ou demorados (o que é bem comum no inverno). Também a Dermatite atópica, alergia de pele comum na infância mas que pode acometer todas as faixas etárias, é caracterizada por uma pele que, além de ressecada, é inflamada, e apresenta áreas irritadas, vermelhas e que coçam muito, especialmente nas regiões quentes do corpo ( dobras dos braços e pernas, axilas e virilhas). Nos bebês acomete mais as bochechas.

  • Que fatores levam à maior incidência dessas alergias durante a estação fria?

Os banhos quentes e demorados, o uso de roupas sintéticas, que dificultam a ventilação e podem irritar pelo atrito. A maior permanência das pessoas em ambientes fechados, a utilização de tapetes, cobertores, mantas, casacos que ficaram guardados desde a última estação também podem desencadear crises nos pacientes alérgicos (podem conter ácaros e fungos que são sensibilizantes)…

  • Que cuidados podem ser tomados para evitar as alergias da pele nessa época do ano?

Banhos não tão quentes, mais rápidos, e o uso restrito de sabonetes ( todos agridem a pele, em maior ou menor escala). É importante a aplicação de hidratantes logo após o banho, com a pele ainda úmida, desta maneira, a água que penetra nas camadas superficiais da pele durante o banho é retida (a evaporação desta água é que dá aquele ressecamento, fazendo com que a pele fique“ repuxada” depois do banho). E aos alérgicos, reforço nas chamadas medidas de controle ambiental , visando reduzir os seu contato com os alérgenos. No caso dos ácaros (cuja sensibilização é frequente), manter a casa arejada, ventilada, sem muitos objetos que acumulem pó, lavar as roupas de cama semanalmente com água quente, substituir cobertores por edredons, lavados com maior frequência e com água quente para inativar os alérgenos, são medidas bastante interessantes. E animais de pelos e pelúcia, tapetes e cortinas pesadas, nunca no quarto (por ser o ambiente em que passamos boa parte do tempo, cerca de 8h ou mais ao dia, deve ser o ambiente mais cuidado)

  • E no aspecto respiratório? Que tipo de alergias são mais comuns?

Os quadros de asma ou rinite desencadeados por ácaros, fungos e mudanças de temperatura ou umidade também tem um pico nestes meses mais frios do ano. A rinite é caracterizada por sintomas nasais incômodos de obstrução, espirros, prurido e coriza, e é um dos fatores que predispõe a maior frequência de quadros virais, a sinusite e quadros de tosse. A asma se caracteriza por episódios repetidos de tosse, chiado ou falta de ar.

  • E na primavera, o que muda em relação às alergias? Quais são mais comuns e por quê?

Na primavera, a campeã das alergias sem dúvida é a rinite devido aos pólens – também chamada rinite sazonal ou polinose. È um quadro bastante agudo, com comprometimento principalmente do nariz e dos olhos, que costuma ser bastante intenso, especialmente nos dias mais secos do ano ( pela maior aerossolização dos alérgenos dos pólens, que vão pelo ar atingir as vias respiratórias) . O nariz fica bastante trancado, há uma coriza abundante e líquida, crises de espirros e uma coceira (prurido) intenso no nariz, olhos, e algumas vezes também nos ouvidos e garganta. Chama a atenção os sintomas oculares intensos, com inchaço, vermelhidão e lacrimejamento, sem contar o prurido, que é bastante desconfortável.
Não deve ser esquecida a fotoproteção diária, mesmo nos dias frios e nublados, uma vez que os raios UVA estão associados a claridade e não necessariamente ao sol forte – sem contar que, em dias de sol, as pessoas andam mais pela sombra, e em dias nublados temos a falsa sensação de que não há raios – engano: eles estão lá. O uso de Filtros solares com proteção UVA, reaplicados ao menos uma vez ao dia é fundamental, mesmo nos dias de frio em que vamos permanecer em ambientes fechados. Quem vai pra cidades onde neva, deve ter atenção redobrada – a neve reflete os raios luminosos e pode potencializar os danos causados por eles – na neve, comporte-se como na praia – abuse dos filtros nas regiões expostas de pele e reaplique a cada 2 horas!
Também os cosméticos usados nesta época do ano são diferentes dos utilizados no verão – a pele apresenta maior necessidade de hidratação, e o uso de cremes emolientes e cosméticos hidratantes ajuda a amenizar aquele ressecamento e mesmo queimaduras produzidas pelo vento e frio excessivo. Também o inverno é a época propícia para intensificar os tratamentos faciais, sendo ideal para fazer tratamentos com ácidos e despigmentantes, especialmente os peelings – aproveitem a melhor época!
Muitos pacientes com rinite, que usam medicações apenas nas crises durante o verão, podem, no inverno, devido a todas as alterações climáticas e um maior contato com alérgenos, ter necessidade do uso contínuo de medicação preventiva – sofrer por alergias, que são patologias perfeitamente tratáveis e cujas medicações apresentam elevados perfis de segurança, hoje em dia, é injustificável, pois as pesquisas médicas tem andado a passos largos nesta área, com o desenvolvimento de tratamentos cada vez mais eficazes – e seguros! Tanto para o tratamento de manchas, rugas, fotoenvelhecimento, alergias de pele quanto para os quadros de rinite e de asma, mesmo para crianças pequenas, gestantes e idosos – hoje em dia estas condições de pele e alergias são consideradas doenças traváveis – e preveníveis!

Alergias mais comuns e como evitá-las!

As alergias são doenças extremamente comuns – 20 a 30% da população mundial apresentará alguma alergia no decorrer da vida.
A rinite alérgica é a alergia mais frequente. e pode ser suspeitada quando sintomas de obstrução nasal (nariz trancado), espirros, prurido (coceira) nasal e/ou coriza ocorrem se repetem com frequência ou duram longos períodos (uma gripe, por exemplo, costuma durar de 3 a 7 dias) e podem ou não ser acompanhados por sintomas oculares ( coceira, olho vermelho, irritado, lacrimejamento) ou mesmo quadros de tosse. Os sintomas podem ocorrer de modo contínuo (todos os dias) ou em crises desencadeadas por mudanças de temperatura, contato com irritantes (cigarro, poluição) ou alérgenos ( pó, ácaros, gatos, cães, pólens de plantas ou mofo). A rinite não é uma doença grave, mas ela pode afetar bastante a qualidade de vida – e pode levar a diminuição do rendimento escolar nas crianças – imagine um nariz que sempre coça ou crises constantes de espirros como atrapalham, sem contar na qualidade do sono, que fica prejudicada. Por isto, é muito importante o diagnóstico precoce – ainda na infância – e um tratamento apropriado. A respiração pela boca constantemente pode levar inclusive a alterações dentárias e no crescimento craniofacial que são pra toda a vida. Os alérgenos mais comuns são os ácaros, seres microscópicos que vivem na poeira, por isso é tão frequente recomendarmos que se evite bichos de pelúcia no quarto, móveis estofados, carpetes e tapetes, e exposição de objetos que acumulem pó. A limpeza da casa deve ser feita com pano úmido, e o ambiente deve ficar o mais arejado e ensolarado quanto possível.
A asma, outra alergia frequente na infância, é diagnosticada quando a criança tem episódios repetidos de tosse, chiado no peito ou falta de ar, e as crises podem ser desencadeadas pelos mesmos agentes, lembrando que a maioria das crianças asmáticas também tem rinite. Para estas alergias respiratórias, além do controle ambiental, existem tratamentos modernos e eficientes, com dispositivos que entregam o medicamento no local onde está ocorrendo o problema, os chamados medicamentos tópicos de prevenção. A rinite e a asma, quando bem controladas, não trazem prejuízo algum ao bem estar e saúde dos nossos pequenos! Converse com o seu Pediatra – ele vai saber quando um tratamento preventivo deve ser iniciado!
Das alergias de pele, a Dermatite atópica (antigamente chamada “ eczema”) acontece quando a pele fica ressecada e inflamada , especialmente nas dobras de pele ou nas bochechas no caso dos bebês. Ela ocorre por fatores genéticos (herança genética) e é agravada pelo uso abusivo de sabonetes, banhos quentes e demorados, e a falta de hidratação da pele. Todos os sabonetes, mesmo os mais suaves, podem agredir o manto lipídico, camada de gordura invisível que protege a nossa pele – e como a pele dos alérgicos é mais sensível, vai reagir com a inflamação, que leva a coceira, que leva as lesões de pele. A dermatite pode ser agravada por fatores alérgicos ( ex, alergia aos ácaros) ou mesmo alergias a alimentos (mais raras, mas não menos importantes) – uma avaliação médica pode ajudar determinar quais são alérgenos, mas os cuidados com a pele são um passo importante no tratamento. Fique atento se a pele do seu filho está ressecada e coçando, avermelhada e áspera – diminua os banhos quentes, reduza o uso de sabonetes e o ideal é a aplicação de hidratantes logo após o banho, com a pele ainda úmida – isto pode ajudar muito!
Muito importante é evitar a automedicação, especialmente nas crianças – ter um Pediatra responsável pela saúde global da criança é o primeiro passo para uma infância saudável – e feliz!

Dra. Adriana Schmidt CRM 12975
Médica Alergista
Presidente do Departamento Científico de Alergia da Sociedade Parananense de Pediatria 2011-2013

Manual de Alergia

Manual de Alergia e Dermatologia

Orientações práticas em Alergia e Dermatologia para Médicos e Pacientes , elaboradas pelos nossos Departamento Científicos de Alergia (que tenho a honra e o prazer de presidir desde 2010) e Dermatologia, lançado por ocasião do Congresso Brasileiro de Pediatria, em 2013 na cidade de Curitiba-PR.
Com alegria compartilho, esperando que seja útil a muitas e muitas pessoas!
Adriana Schmidt
o link de acesso é : http://alergiadermatospp.com.br

Manual de Alergia

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>