Carregando...



Clínica Adriana Schmidt

AQUI É O LUGAR DE SE SENTIR BEM

Adriana Schmidt
16/fev/2019

Alergia a ácaros da poeira

Fonte: BERNSTEIN ALLERY GROUP INC. 2009
1- O QUE É ÁCARO DA POERIA?

Apesar de haverem muitos componentes na poeira doméstica aos quais as pessoas podem se tornar alérgicas, a mais importante é o ácaro. Ele é uma criatura microscópica, parecida com aranha, que é encontrada nas casas. Os ácaros crescem primariamente em carpetes, cobertores, travesseiros, colchões, e móveis estofados. Eles sobrevivem em condições quentes e úmidas e se alimentam de escamas desprendidas da pele humana! Os dejetos produzidos pelos ácaros são altamente alergênicos. Cada ácaro produz cerca de 20 partículas fecais por dia. Os dejetos e resíduos do ácaro continuam a causar sintomas alérgicos mesmo após o ácaro que os produziu ter falecido. Além disso, a poeira doméstica contém mofo, descamação de humanos e animais, e resíduos de baratas que podem ser alergênicos.

2- ONDE OS ÁCAROS VIVEM?

O maior número de ácaros podem ser encontrados nos carpetes, que propiciam as melhores condições de calor, umidade e alimentos para seu crescimento. Os ácaros são também são abundantes em colchões, travesseiros, cobertores, móveis estofados, cortinas e tecidos similares. Ácaros fêmeas podem colocar 25 a 50 ovos, com uma nova geração sendo produzida a cada 3 semanas. É muito fácil imaginar porque carpetes e camas possam conter tantos muitos ácaros vivos e mortos.

3- O QUE PODE SER FEITO PARA CONTROLAR OS ÀCAROS DA POEIRA?

Estudos científicos de pacientes alérgicos aos ácaros da poeira tem mostrado que seguindo passos para reduzir a exposição a ácaros da poeira no quarto pode levar a uma diminuição dos sintomas alérgicos e necessidade de medicação. Ênfase é dada no quarto, porque pessoas gastam 1/ 3 ou mais de seu tempo lá, e é freqüentemente o cômodo com maior número de ácaros.

Importantes medidas de controle estão anotadas abaixo:

  • Tente manter a umidade interna ambiente entre 30 a 50% por todo o ano.
  • O cobertor, colchão e travesseiros deveriam ser encapados com tecido especial com zíper, com capas a prova de ácaros . Tambem é recomendado o uso de travesseiros de fibras de poliéster, evitando os de penas ou paina.
  • O chão deveria ser de vinil ou madeira, com tapetes laváveis somente. O carpet deve ser evitado. Entretanto, se não for possível remover o carpet, ele deveria ser aspirado com aspiradores dotados de filtros de alta eficiência (HEPA) ou sacos duplos de aspirador de pó 1 a 2 vezes por semana.
  • Evitar cortinas pesadas e persianas que acumulem pó, usar venezianas. Se cortinas forem usadas, elas deveriam ser lavadas periodicamente.
  • Lave os cobertores e roupas de cama em água quente ( acima de 50-60 graus) a cada 2 semanas. Evite lã e cobertores de pelos.
  • A limpeza da casa deveria ser feita por outra pessoa que não o alérgico. Se o alérgico realizar a limpeza, ele deveria usar uma máscara enquanto limpa e após, deixar a casa pro 30 minutos – enquanto os resíduos de ácaro de depositem. Retirar o pó com pano úmido ou pano de pó eletrostático.
  • Os ar-condicionados podem controlar o calor e umidade que estimulam o crescimento de ácaros. Entretanto, eles frequentemente podem ser suplementados com um desumidificador eficiente. Use desumidificadores em porões úmidos. Use o desumidificador e ar condicionado durante períodos de elevada umidade, particularmente de primavera a o outono. Limpe os filtros do ar condicionado mensalmente. Os filtros de ar com HEPA (elevada eficiência) podem remover as partículas aerossolizadas de ácaros mas não os ácaros que tenham se depositado nas camas e carpetes. Aparelhos portáteis, de mesa e baratos não são eficientes. Cobrir as saídas de ar com HEPA ou filtros eletrostáticos é benéfico.
  • Evitar flâmulas, enfeites de macramé, travesseiros sobressalentes e almofadas, livros e revistas, bichos de pelúcia, e objetos, brinquedos ou enfeites que acumulem pó. O mobiliário, se possível, deveria ser de madeira, couro, plástico ou metal, pois móveis estofados tendem a armazenar alérgenos do pó e ser um sítio para crescimento de ácaros.
  • Mantenha todas as roupas em um closet com as portas fechadas
  • Se usar um umidificador no inverno. Evitar a super-umidificação. Os ácaros crescem melhor em umidade relativa a 75-80%e não podem viver abaixo de 40% de umidade. Tenha certeza que o umidificador seja limpo adequadamente e para evitar o crescimento de fungos e bactérias dentro do umidificador.
  • Se for se mudar, selecione um apartamento ou casa que seja acima do solo (sem porões), tenha piso de madeira e, de preferência, quartos no segundo piso (ex, não sobre concreto que permanece úmido)

Adriana Schmidt
16/fev/2019

Medicação no nariz vicia? 

Os chamados vasoconstritores tópicos podem, se usadso a longo prazo, levar a um efeito rebote, isto é existe uma vasodilatação que faz com que o nariz fique cada vez mais trancado, levando o paciente a usar cada vez mais o medicamento, e podem levar a dano da mucosa nasal a longo prazo. Por isto, tais medicações devem ser utilizadas apenas por cutos períodos de tempo ( 5 dias), e somente sob orientação médica, pois são medicamentos e alívio e não de tratamento. Já os antialérgicos e antiinflamatórios nasais são as medicações de escolha no tratamento preventivo das rinites e vão ajudar a melhorar os sintomas e funções nasais e podem ser utilizados a longo prazo, sempre sob orientação e acompanhamento médico.


Adriana Schmidt
16/fev/2019

A rinite deve ser tratada de acordo com a sua etiologia, isto é os fatores que a desencadeiam. Um médico Alergista deveria ser consultado para uma avaliação mais aprofundada caso os sintomas sejam persistentes, para melhor investigar a causa e orientar um tratamento específico para cada caso. A utilização indiscriminada de medicações descongestionantes nasais é contra-indicada, uma vez que estas medicações aliviam os sintomas, mas não a causa da rinite.


Adriana Schmidt
16/fev/2019

Por que tratar a rinite? 

Além de poder estar associada a outras patologias, a rinite pode levar a um comprometimento da qualidade de vida de um indivíduo, diminuindo sua produtividade tanto no trabalho quanto na escola (é comum crianças com rinite apresentarem algum grau de dificuldade na escola) , interação social, atrapalhando o sono,o olfato e o paladar, e podendo levar a complicações como a sinusite ou agravar quadros pulmonares, uma vez que fica prejudicada a fase nasal da respiração (ver a questão: para que serve o nariz). A rinite não “mata”, mas pode atrapalhar bastante!


Adriana Schmidt
16/fev/2019

As alergias nas diferentes estações do ano
Por. Dra. Adriana Schmidt

  • Quais são as principais alergias da pele que aumentam durante o inverno e quais são os seus sintomas?

O ressecamento excessivo, que pode ser causado ou agravado com o uso de sabonetes, banhos quentes ou demorados (o que é bem comum no inverno). Também a Dermatite atópica, alergia de pele comum na infância mas que pode acometer todas as faixas etárias, é caracterizada por uma pele que, além de ressecada, é inflamada, e apresenta áreas irritadas, vermelhas e que coçam muito, especialmente nas regiões quentes do corpo ( dobras dos braços e pernas, axilas e virilhas). Nos bebês acomete mais as bochechas.

  • Que fatores levam à maior incidência dessas alergias durante a estação fria?

Os banhos quentes e demorados, o uso de roupas sintéticas, que dificultam a ventilação e podem irritar pelo atrito. A maior permanência das pessoas em ambientes fechados, a utilização de tapetes, cobertores, mantas, casacos que ficaram guardados desde a última estação também podem desencadear crises nos pacientes alérgicos (podem conter ácaros e fungos que são sensibilizantes)…

  • Que cuidados podem ser tomados para evitar as alergias da pele nessa época do ano?

Banhos não tão quentes, mais rápidos, e o uso restrito de sabonetes ( todos agridem a pele, em maior ou menor escala). É importante a aplicação de hidratantes logo após o banho, com a pele ainda úmida, desta maneira, a água que penetra nas camadas superficiais da pele durante o banho é retida (a evaporação desta água é que dá aquele ressecamento, fazendo com que a pele fique“ repuxada” depois do banho). E aos alérgicos, reforço nas chamadas medidas de controle ambiental , visando reduzir os seu contato com os alérgenos. No caso dos ácaros (cuja sensibilização é frequente), manter a casa arejada, ventilada, sem muitos objetos que acumulem pó, lavar as roupas de cama semanalmente com água quente, substituir cobertores por edredons, lavados com maior frequência e com água quente para inativar os alérgenos, são medidas bastante interessantes. E animais de pelos e pelúcia, tapetes e cortinas pesadas, nunca no quarto (por ser o ambiente em que passamos boa parte do tempo, cerca de 8h ou mais ao dia, deve ser o ambiente mais cuidado)

  • E no aspecto respiratório? Que tipo de alergias são mais comuns?

Os quadros de asma ou rinite desencadeados por ácaros, fungos e mudanças de temperatura ou umidade também tem um pico nestes meses mais frios do ano. A rinite é caracterizada por sintomas nasais incômodos de obstrução, espirros, prurido e coriza, e é um dos fatores que predispõe a maior frequência de quadros virais, a sinusite e quadros de tosse. A asma se caracteriza por episódios repetidos de tosse, chiado ou falta de ar.

  • E na primavera, o que muda em relação às alergias? Quais são mais comuns e por quê?

Na primavera, a campeã das alergias sem dúvida é a rinite devido aos pólens – também chamada rinite sazonal ou polinose. È um quadro bastante agudo, com comprometimento principalmente do nariz e dos olhos, que costuma ser bastante intenso, especialmente nos dias mais secos do ano ( pela maior aerossolização dos alérgenos dos pólens, que vão pelo ar atingir as vias respiratórias) . O nariz fica bastante trancado, há uma coriza abundante e líquida, crises de espirros e uma coceira (prurido) intenso no nariz, olhos, e algumas vezes também nos ouvidos e garganta. Chama a atenção os sintomas oculares intensos, com inchaço, vermelhidão e lacrimejamento, sem contar o prurido, que é bastante desconfortável.
Não deve ser esquecida a fotoproteção diária, mesmo nos dias frios e nublados, uma vez que os raios UVA estão associados a claridade e não necessariamente ao sol forte – sem contar que, em dias de sol, as pessoas andam mais pela sombra, e em dias nublados temos a falsa sensação de que não há raios – engano: eles estão lá. O uso de Filtros solares com proteção UVA, reaplicados ao menos uma vez ao dia é fundamental, mesmo nos dias de frio em que vamos permanecer em ambientes fechados. Quem vai pra cidades onde neva, deve ter atenção redobrada – a neve reflete os raios luminosos e pode potencializar os danos causados por eles – na neve, comporte-se como na praia – abuse dos filtros nas regiões expostas de pele e reaplique a cada 2 horas!
Também os cosméticos usados nesta época do ano são diferentes dos utilizados no verão – a pele apresenta maior necessidade de hidratação, e o uso de cremes emolientes e cosméticos hidratantes ajuda a amenizar aquele ressecamento e mesmo queimaduras produzidas pelo vento e frio excessivo. Também o inverno é a época propícia para intensificar os tratamentos faciais, sendo ideal para fazer tratamentos com ácidos e despigmentantes, especialmente os peelings – aproveitem a melhor época!
Muitos pacientes com rinite, que usam medicações apenas nas crises durante o verão, podem, no inverno, devido a todas as alterações climáticas e um maior contato com alérgenos, ter necessidade do uso contínuo de medicação preventiva – sofrer por alergias, que são patologias perfeitamente tratáveis e cujas medicações apresentam elevados perfis de segurança, hoje em dia, é injustificável, pois as pesquisas médicas tem andado a passos largos nesta área, com o desenvolvimento de tratamentos cada vez mais eficazes – e seguros! Tanto para o tratamento de manchas, rugas, fotoenvelhecimento, alergias de pele quanto para os quadros de rinite e de asma, mesmo para crianças pequenas, gestantes e idosos – hoje em dia estas condições de pele e alergias são consideradas doenças traváveis – e preveníveis!


Adriana Schmidt
16/fev/2019

A asma é uma doença crônica caracterizada pela inflamação das vias aéreas ou brônquios (vias canaliculares, como pequenos tubos que permitem com que o ar entre e saia dos pulmões). Se você tem asma, suas vias respiratórias estão sempre inflamadas.

Nas crises, existe um agravamento desta inflamação e elas tornam-se inchadas, os músculos ao redor dos brônquios se contraem, levando ao que chamamos sibilância, que nada mais é do que o ar saindo com dificuldade de uma via áerea estreitada, soando como um ruído expiratório (quando você tenta expelir o ar dos pulmões escuta uma espécie de “chiado”). Isso torna difícil para o ar a entrar e sair dos pulmões, causando além do chiado, tosse, falta de ar e / ou aperto no peito. Nem sempre o chiado é audível, e alguns pacientes irão apresentar apenas crises de tosse. Os fatores desencadeantes das crises são geralmente resfriados, infeccões virais, mudanças bruscas de temperatura ou contato com alérgenos ( compostos aos quais o paciente é sensível, como ácaros, pólens, animais ou fungos) que podem ser detectado por dados de história e confirmado com a realização dos testes alérgicos). Também existem exames que avaliam a função pulmonar e a resposta ao tratamento, um teste de sopro chamado espirometria, que deve ser realizado 1 a 2 vezes ao ano para avaliar o grau de obstrução dos brônquios. É um exame feito pelo médico ou pelo técnico em função pulmonar em consultório.

Algumas pessoas saudáveis podem desenvolver sintomas de asma somente quando fazem exercícios. Isso é chamado de broncoespasmo induzido por exercício (BIE ), ou asma induzida por exercício (AIE ). O médico especialista pode desenvolver um plano de gestão para manter seus sintomas sob controle antes, durante e após a atividade física.
Pessoas com histórico familiar de alergias ou asma são mais propensas a desenvolver asma, e muitas pessoas com asma também têm alergias, isto é chamado de asma alérgica . E boa parte dos pacientes asmáticos alérgicos tem rinite alérgica, que deve ser igualmente diagnosticada e tratada, pois interfere no tratamento da asma.
A asma ocupacional é causada por inalação de fumos , gases, poeira ou outras substâncias potencialmente prejudiciais durante o trabalho .
A asma pode iniciar em qualquer idade, mas maioria das pessoas que irão desenvolver asma iniciam seus sintomas antes da idade de cinco anos. O impacto da asma na infância de milhões de crianças e suas famílias é enorme!

Não há cura para a asma, mas uma vez ela devidamente diagnosticada e seguido um plano de tratamento, há grandes chances de uma vida normal. Quantos atletas campeões olímpicos tiveram asma? A asma não deve ser um empecilho na vida de ningué, pois dispomos tratamentos muito eficientes e seguros! Existem medicações para tratamento das crises (chamados bronco dilatadores) e medicamentos para tratamento da doença, que devem ser utilizados por longo prazo. A melhor forma de tratamento é a via inalatória, porque por esta via o medicamento é entregue diretamente onde está ocorrendo o problema e as doses utilizadas são bem bem menores, reduzindo qualquer risco de efeitos colaterais. As medicações são seguras e ajudam a reduzir crises, sintomas e a própria progressão da doença.

O médico ALERGISTA é o médico melhor qualificado no diagnóstico e tratamento da asma e da rinite, especialmente se forem alérgicas . Com a ajuda de seu Alergista , você pode descobrir o que agrava seus sintomas, assumir o controle da sua doença e levar uma vida absolutamente normal.
www.adrianaschmidt.com
Mantenha-se atualizado sobre Asma, Alergias e sobre Tratamentos Estéticos Faciais. Siga nossa Fanpage no Facebook: Clínica Dra Adriana Schmidt.

asma asma2


Adriana Schmidt
16/fev/2019

As alergias são doenças extremamente comuns – 20 a 30% da população mundial apresentará alguma alergia no decorrer da vida.
A rinite alérgica é a alergia mais frequente. e pode ser suspeitada quando sintomas de obstrução nasal (nariz trancado), espirros, prurido (coceira) nasal e/ou coriza ocorrem se repetem com frequência ou duram longos períodos (uma gripe, por exemplo, costuma durar de 3 a 7 dias) e podem ou não ser acompanhados por sintomas oculares ( coceira, olho vermelho, irritado, lacrimejamento) ou mesmo quadros de tosse. Os sintomas podem ocorrer de modo contínuo (todos os dias) ou em crises desencadeadas por mudanças de temperatura, contato com irritantes (cigarro, poluição) ou alérgenos ( pó, ácaros, gatos, cães, pólens de plantas ou mofo). A rinite não é uma doença grave, mas ela pode afetar bastante a qualidade de vida – e pode levar a diminuição do rendimento escolar nas crianças – imagine um nariz que sempre coça ou crises constantes de espirros como atrapalham, sem contar na qualidade do sono, que fica prejudicada. Por isto, é muito importante o diagnóstico precoce – ainda na infância – e um tratamento apropriado. A respiração pela boca constantemente pode levar inclusive a alterações dentárias e no crescimento craniofacial que são pra toda a vida. Os alérgenos mais comuns são os ácaros, seres microscópicos que vivem na poeira, por isso é tão frequente recomendarmos que se evite bichos de pelúcia no quarto, móveis estofados, carpetes e tapetes, e exposição de objetos que acumulem pó. A limpeza da casa deve ser feita com pano úmido, e o ambiente deve ficar o mais arejado e ensolarado quanto possível.
A asma, outra alergia frequente na infância, é diagnosticada quando a criança tem episódios repetidos de tosse, chiado no peito ou falta de ar, e as crises podem ser desencadeadas pelos mesmos agentes, lembrando que a maioria das crianças asmáticas também tem rinite. Para estas alergias respiratórias, além do controle ambiental, existem tratamentos modernos e eficientes, com dispositivos que entregam o medicamento no local onde está ocorrendo o problema, os chamados medicamentos tópicos de prevenção. A rinite e a asma, quando bem controladas, não trazem prejuízo algum ao bem estar e saúde dos nossos pequenos! Converse com o seu Pediatra – ele vai saber quando um tratamento preventivo deve ser iniciado!
Das alergias de pele, a Dermatite atópica (antigamente chamada “ eczema”) acontece quando a pele fica ressecada e inflamada , especialmente nas dobras de pele ou nas bochechas no caso dos bebês. Ela ocorre por fatores genéticos (herança genética) e é agravada pelo uso abusivo de sabonetes, banhos quentes e demorados, e a falta de hidratação da pele. Todos os sabonetes, mesmo os mais suaves, podem agredir o manto lipídico, camada de gordura invisível que protege a nossa pele – e como a pele dos alérgicos é mais sensível, vai reagir com a inflamação, que leva a coceira, que leva as lesões de pele. A dermatite pode ser agravada por fatores alérgicos ( ex, alergia aos ácaros) ou mesmo alergias a alimentos (mais raras, mas não menos importantes) – uma avaliação médica pode ajudar determinar quais são alérgenos, mas os cuidados com a pele são um passo importante no tratamento. Fique atento se a pele do seu filho está ressecada e coçando, avermelhada e áspera – diminua os banhos quentes, reduza o uso de sabonetes e o ideal é a aplicação de hidratantes logo após o banho, com a pele ainda úmida – isto pode ajudar muito!
Muito importante é evitar a automedicação, especialmente nas crianças – ter um Pediatra responsável pela saúde global da criança é o primeiro passo para uma infância saudável – e feliz!

Dra. Adriana Schmidt CRM 12975
Médica Alergista
Presidente do Departamento Científico de Alergia da Sociedade Parananense de Pediatria 2011-2013


Adriana Schmidt
16/fev/2019

Após a obtenção dos valores iniciais, o ideal é que o paciente receba medicação broncodilatadora em aerosssol (foto), e que o mesmo exame seja repetido dentro de 15 minutos. Nas doenças obstrutivas, como na asma e na bronquite, os valores após a medicação broncodilatadora serão geralmente maiores que os iniciais. A espirometria é de fundamental importância no diagnóstico e no acompanhamento de pacientes com patologias pulmonares obstrutivas, e pode ser realizada já em crianças acima dos 5 ou 6 anos. Para acompanhar a resposta ao tratamento e a evolução da doença, o ideal é que seja repetido a cada 6 meses ou anualmente.

espirometria


Adriana Schmidt
16/fev/2019

O nariz é um órgão complexo e com múltiplas funções, entre elas:

  • Filtração do ar inspirado
  • Aquecimento do ar inspirado
  • Umidificação do ar inspirado
  • Fonação e ressonância da voz
  • Olfato

Curiosamente, independente da temperatura externa, o ar sempre chega aos pulmões a uma temperatura constante de 37 graus, o que protege os pulmões de alterações bruscas de temperatura que seriam prejudiciais.


Adriana Schmidt
16/fev/2019

A rinite ocorre quando há inflamação do revestimento do nariz em resposta a um fator agressor. Ela pode ser de origem alérgica ou não alérgica. Na rinite alérgica, existem anticorpos contra Antígenos (agentes agressores protéicos, tipo ácaros, gato, cão, pólens, fungos), e cada vez que o indivíduo entra em contato com tais antígenos ocorre ima interação Ag – Ac com liberação de fatores inflamatórios que ocasionam, uma nflamação alérgica, levando à obstrução nasal, coriza, prurido e espirros, tão característicos desta patologia. Já a rinite não alérgica pode ocorrer devido a agentes irritantes ( fumaças, gases tóxicos, pós, químicos, perfumes) que ocasionam irritação direta da mucosa respiratória por serem tóxicos ou lesivos.
Quando existe a agressão do tecido nasal por vírus ou bactérias, temos uma rinite infecciosa, onde existe um organismo infectante que foi inoculado via respiratória (contato direto ou via gotículas contaminadas provenientes de outras pessoas infectadas pelo vírus). Existem várias outras causas de rinite, por exemplo a rinite que ocorre em grávidas ou pacientes com hipotireoidismo, ou pelo uso de medicações. Se os sintomas são incomodativos, ocorrem de maneira repetida ou atrapalham as atividades diárias, um médico deve ser consultado, preferencialmente um médico especialista em Alergia e Imunologia.


Dra. Adriana Schmidt - 2017