PELE BONITA – Uma pele bonita é aquela que se apresenta sem manchas, livre de acne e suas seqüelas, sem rugas, flacidez ou outros sinais inestéticos. A aparência da pele depende da qualidade do extrato córneo (camada superficial da pele), do viço, da luminosidade, da pigmentação uniforme e das condições dos poros.

PELE ÁSPERA – A pele se apresenta áspera ao contato quando há um acúmulo de células da camada córnea se desprendendo, isto pode ser revertido com o uso de produtos que promovam a esfoliação ou renovação celular, e cuidados diários como a limpeza com sabonete líquido com pH semelhante ao da pele (evitando sabonetes neutros ou de barra, com pH básico, que podem agredir o manto hidrolipídico que protege a pele, e levarem a um maior ressecamento e aspecto envelhecido). A hidratação diária e com produtos adequados ao tipo de pele é fundamental, e podem ser adicionados aos hidratantes produtos antioxidantes, antienvelhecimento e outros, dependendo das necessidades individuais de na dependência da estação do ano, condições climáticas, etc…

OLEOSIDADE – A oleosidade cutânea depende de fatores intrínsecos (genética, predisposição individual) e extrínsecos ou externos – uso de produtos oleosos ou não apropriados a este tipo de pele, que demanda produtos específicos. Ela pode ser revertida com o uso de sabonetes adstringentes, loções tônicas ou matificantes, e o uso de filtros solares e cremes próprios para a pele oleosa, que podem ser industrializados ou manipulados, e que costumam ser bastante eficientes para este fim. Casos extremos podem ser tratados com medicamentos pela via oral que reduzem a atividade das glândulas sebáceas. A oleosidade predispõe a acne, que deve ser tratada, e que pode evoluir com cicatrizes e manchas (ver artigo sobre acne neste mesmo site) Tudo isto sempre com a orientação de um médico especialista no assunto! A automedicação pode agravar a oleosidade e levar a outros problemas de pele, como ressecamentos ou alergias.

RUGAS – As rugas são facilmente tratáveis logo no seu início, com o uso de toxina botulínica (ver na sessão de “procedimentos e fotos” deste site), e a flacidez superficial pode ser combatida com o uso de cremes com estimulantes da renovação celular, hidratantes e antioxidantes, que reduzem o processo de oxidação e a cascata inflamatória que leva ao envelhecimento. Também existem produtos que, adicionados aos cremes de uso diário, ajudam a promover um efeito lifting, dando um aspecto mais rejuvenescido a pele flácida de pessoas de mais idade. Alguns produtos foram colocados no mercado que contém ativos químicos com a finalidade de mascarar ou encobrir as rugas (efeito cosmético).. Há, ainda, produtos que repõe o que a pele vai perdendo ao longo dos anos, como fatores de hidratação, restruturantes, nutrientes, oligoelementos e fitohormônios.

MANCHAS – As manchas são especialmente difíceis de tratar, pois os melanócitos ( células produtoras de melanina, o pigmento que dá cor à pele), tem memória, e uma vez com manchas, elas tendem invariavelmente a a voltar, e na dependência dos estímulos aos quais esta pele for exposta com maior intensidade, como exposição a luz do sol ou mesmo a claridade – costumo salientar as minhas pacientes que o filtro solar só não se usa à noite – e se a luz estiver apagada!. As manchas escuras são desvios da pigmentação que podem ter grande influência psicológica sobre o indivíduo, afetando sua vida afetiva, social e profissional. Chamamos de despigmentantes os ativos que agem sobre o processo de formação de melanina (melanogênese), os que impedem a nova formação deste pigmento, principalmente inibindo a enzima tirosinase, os que inibem o transporte deste pigmento, e os que evitam o processo de oxidação, que leva a formação de radicais livres e à cascata buioquímica da formação da melanina. Contamos hoje com ativos mais suaves, derivados de plantas, que podem ser usados mesmo durante o dia, e que são alternativas aos despigmentantes mais fortes utilizados no passado, de alta performance tecnológica e que combatem as manchas de diferentes origens. Mesmo no verão, e eu diria até principalmente durante o verão, os pacientes que apresentam manchas na pele devam ter os cuidados redobrados e o uso de produtos apropriados para a sua pele e estação do ano. No inverno, usamos clareadores mais fortes, ácidos e peelings ( ver artigo no “procedimentos e fotos” deste site), enquanto que no verão tentamos evitar o aumento na pigmentação das manchas pré-existentes. Quem não tem manchas deveria cuidar para nunca vir a te-las, e isto se faz com a redução da exposição a luz solar e o uso de filtros solares reaplicados com freqüência (mínimo 2 vezes ao dia), mesmo em dias nublados – os raios UVA, nocivos à pele, estão associados a claridade, não necessariamente ao sol forte, e é a exposição acidental diária que mais contribui para o envelhecimento da pele. O sol não é só o responsável pelas manchas, mas por flacidez e pelo envelhecimento precoce da pele (ver artigo relacionado).

Uma pele bonita e saudável é fruto também de uma alimentação balanceada, do consumo de frutas e verduras, carnes magras, exercícios físicos moderados (pois acredita-se que os de alta performance podem aumentar a produção de radicais livres), e um equilíbrio bio-psico-social – pessoas saudáveis e felizes tendem a ter uma pele luminosa, especialmente se tiverem um programa de cuidados com a pele orientados por um profissional capacitado.

Adriana Schmidt

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>